Blog

Tratamento com microagulhamento: entenda para quais casos é indicado

Tratamento com microagulhamento: entenda para quais casos é indicado

05/09/2017

O tratamento com microagulhamento é uma técnica recomendada para reduzir manchas ‘’tratar cicatrizes e melhorar a qualidade da pele. Isso é possível porque agulhas muito finas, que estão fixadas em um rolo, quando colocadas em contato com a epiderme, a perfuram até alcançar a derme, onde se formam as rugas.

Antes de se submeter ao tratamento, o paciente deve informar ao dermatologista se:

  • tem alguma infecção ativa, como herpes na região do corpo a ser tratada;
  • há tendência para a cicatrização com quelóides;
  • está grávida.

Nesses casos, o tratamento com microagulhamento é contraindicado. Nas demais situações, o médico dermatologista indica o melhor uso do método e solicita à/ao paciente que suspenda, três dias antes da data agendada para a realização do procedimento, o uso de qualquer tipo de ácido que esteja aplicando na pele para evitar possíveis quadros irritativos.

Uma camada fina de creme anestésico é aplicada na área da pele a ser tratada pelas micro agulhas para atenuar a sensação de dor. A cada vez que é preciso repetir o tratamento, há esse cuidado. A quantidade de sessões necessárias depende de alguns fatores, como as condições da pele. Em geral, recomenda-se uma sessão a cada quatro ou seis semanas, dependendo da finalidade desejada.

O microagulhamento é indicado para:

  • cicatrizes de acne;
  • rejuvenescimento de face e pescoço;
  • estrias;
  • rugas e linhas de expressão;
  • flacidez leve;
  • poros abertos;
  • algumas manchas.

Tratamento com microagulhamento estimula a produção de colágeno

O tratamento com microagulhamento induz o organismo a produzir colágeno para recuperar a pele. Essa produção atinge o auge em torno de três meses após o paciente tratar-se com a técnica. Transcorrido esse período, percebe-se a melhora das rugas, das cicatrizes e das estrias. A diminuição das manchas, porém, já é possível observar em até 30 dias.

Raramente ocorrem complicações no tratamento com microagulhamento, principalmente se a técnica é efetuada da forma correta, por um médico dermatologista que a domine e a/o paciente seguir todas as orientações do especialista.

Essa é uma questão muito importante: o profissional escolhido para  aplicar a técnica tem de possuir habilidade e conhecimento sobre fisiologia, anatomia, cosmetologia, reparação tecidual, alterações estéticas, entre outros.

Os cuidados necessários após o paciente tratar-se com microagulhamento incluem evitar exposição  à luz solar e uso de fotoprotetor de boa qualidade. Além disso, o médico prescreve cosmecêuticos para uso domiciliar.

As micro lesões cicatrizam pouco tempo depois do procedimento e, normalmente, a pele não descama de forma visível, como acontece no peeling. Um tom levemente avermelhado pode perdurar por um curto tempo, mas não costuma incomodar ou chamar atenção.